Acre e representantes do Peru e Bolívia definem mecanismos para fortalecimento da Rota Quadrante Rondon

O governo do Acre, por meio das secretarias de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e de Planejamento (Seplan), com apoio do Ministério de Planejamento e Orçamento do governo federal, além de representantes do Peru e Bolívia, abordaram em reunião realizada em Rio Branco nesta terça-feira, 9, aspectos essenciais para gerar maior integração comercial entre os países e estados do corredor bioceânico Rota Quadrante Rondon.

Durante toda a tarde, grupos de trabalho debateram eixos econômicos, sociais, culturais, turísticos, ambientais, de infraestrutura física, setor energético, segurança e também de gestão e governança do processo.

As ações fazem parte do Encontro Trinacional da Integração Rota Quadrante Rondon, aberto pela manhã, com a presença do governador Gladson Cameli e da vice-governadora Mailza Assis, autoridades do Peru, da Bolívia e do Fórum de Inovação e Desenvolvimento da Federação das Indústrias do Acre (Fieac).

Representando a Administração da Zona de Processamento de Exportação (AZPE), Lauro Santos ministrou, com base em estudo da Escola Superior de Guerra, palestras de embasamento aos grupos de trabalho, abordando o panorama da Organização do Tratado de Cooperação Amazônico (Otca) no contexto geopolítico atual. Santos destacou que a região que integra a rota “tem a maior biodiversidade do planeta, um terço da maior floresta tropical do mundo, temas convergentes para todos os países e estados presentes” na reunião.

Mais cedo, o gerente geral da Cosco Shipping, Carlos Tajeda, destacou a importância da inauguração do Porto de Chancay – previsto para novembro – para o Acre. “A construção do porto de águas profundas criará uma nova conexão, que vem sendo apelidada de “Xangai-Chancay”, um novo centro de conexão da região com a Ásia, que vai trazer vantagens para uma série de países sul-americanos e estados do Acre e Rondônia posicionados estrategicamente na América Latina”, garantiu.

O representante da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sulamericana (Iirsa-Sul), Henry Alvarez, apresentou a viabilidade técnica e econômica do corredor. A instituição coordena o planejamento para a construção de infraestrutura dos diferentes países do continente sul-americano.

Os grupos de trabalho foram presididos pelos titulares da Seict e Seplan, Assurbanípal Mesquita e Ricardo Brandão, respectivamente. Durante mais de três horas foram intensos os debates e as proposições relacionadas à questão aduaneira, bem como os gargalos logísticos, econômicos e ambientais e o plano gestor para desenvolvimento das cidades impactadas.

“São vários estados juntos, trabalhando pelo sonho, que é da Amazônia e também do Brasil, que a América seja integrada. Quando a gente vê o trabalho do Ministério do Planejamento pela integração contínua dos nossos povos e a livre comercialização de produtos, como acreanos, enxergamos uma oportunidade única, momentos dos mais positivos da sociedade”, analisou Ricardo.

Ao avaliar o primeiro dia de trabalhos do encontro, o titular da Seict afirmou que o Estado dá um grande passo para internalizar, em todos os estados e países, “os impactos positivos da rota, dividindo tarefas entre os entes públicos e privados, de modo que possam, dentro do seu segmento, buscar executar ações para consolidação desse projeto”.

Programação

O encontro será fortalecido nesta quarta-feira, 10, com a presença do vice-governador de Rondônia, Sérgio Gonçalves. Pela manhã, serão apresentadas as palestras da Associação de Exportadores do Peru (Adex) e do Grupo Empresarial Arsa, que abordará “Oportunidades e desafios para o Departamento de Pando e o Centro de Distribuição Inka Park”.

O evento será finalizado com a assinatura de um termo de compromisso entre governadores e representantes dos países e estados presentes e com a formação de um subcomitê para governança da Rota Quadrante Rondon.

Tópicos:

PUBLICIDADE

Preencha abaixo e receba as notícias em primeira mão pelo seu e-mail

PUBLICIDADE

Nossa responsabilidade é muito grande! Cabe-nos concretizar os objetivos para os quais foi criado o jornal Diário do acre