Sem tabus! Coluna Dra G

Ao contrário do reino animal, a espécie humana é campeã do prazer sexual

Olá, caro leitor.

Que prazer ter você aqui comigo ‘desvirginando’ essa coluna que estreia hoje e com certeza vai te levar ao deleite de assuntos que vão te ajudar, não simplesmente a se tornar um hedonista, ou seja, uma pessoa que vive apenas para maximizar seus prazeres.

Até porque, meu caro, nem só de ejaculação vive o homem, se é que me entende! Ao contrário do reino animal, a espécie humana pode ser considerada a campeã do prazer sexual. Afinal, somos capazes de experimentar o orgasmo em qualquer época do ano, enquanto outros bichos só desfrutam desse “bel prazer” apenas no período do cio.

Têm homens que são insuportavelmente grosseiros depois do orgasmo. Sofrem do fastio pós-coito. Não sabem, ou simplesmente não querem “dividir” o depois do prazer. Uma queixa comum de muitas mulheres no divã, que depois da cópula, o controle remoto entra em cena, quando este também não é trocado pelo celular ou um pedaço de pizza gelado na cozinha.

Sabemos que faz parte da essência da mulher querer conversar. Embora seja compreensível que os homens queiram um momento só para eles após o sexo, seja no futebol da tv, no silêncio do quarto, no virar para o lado e dormir, ou acender de cigarro. E sim, sempre calados.

A verdade é que eles não conseguem entender a nossa mania de permanecer “passarinhando ao rendo deles”, esfregando nossos pezinhos frios em seu corpo e beijando suas orelhas a fim de mendigar um pouquinho de atenção sem que haja nenhum motivo excitante para isso.

Meninas, calma! Não que os homens fiquem avessos a vocês. Na verdade eles ficam indiferentes a tudo depois do sexo. Boiando no torpor de seus egos inflamados e hormônios sedados, orgulhosos de si próprios.

Indo direto ao ponto, é que depois do orgasmo os homens não precisam de mais nada. Ficam “impotentes” até para conversar. Isso porque sabem que um quarto de hora mais tarde estarão novamente no pico da montanha-russa da testosterona, prestes a implorar de joelhos que a amada os encham de beijos e entrem no clima das palavras pervertidas para mais uma rodada de prazer. Entendeu? Não é o que você fez ou deixou de fazer, o processo é fisiológico.

Mas que fique aqui registrado, a mulher quando é bem servida na cama também não precisa de mais nada, principalmente conversinhas pós-orgasmo. Quando o cara é de responsa ela quer curtir sua ida ao céu sem pressa de voltar. Embora sejam poucos os que consigam essa proeza.

Se o desejo nos acorrenta ao parceiro, o momento pós-coito nos liberta. Portanto, invista nas preliminares, mas, por favor, arrase nos finalmente.

Quando o assunto é sexo: NEM PONTO NEM VÍRGULA.

Prazer, Dra G.

Que tal entrar no clima da coluna? Compartilhar uma experiência entre “quatro paredes”, mandar uma pergunta ou tirar uma dúvida? Fica à vontade, a coluna também é sua. Divirta-se.

No próximo encontro vou falar sobre o tantra, uma filosofia milenar que vem da Índia, e compreende nossa energia sexual como uma potente força criativa. Não perca!