A VELHA POLÍTICA

Após ser afastado do PSL pelo presidente da sigla, Bolsonaro estuda a fusão entre Patriota com outro partido

Desde que o presidente do Partido Social Liberal (PSL), deputado federal Luciano Bivar (PE) anunciou na última terça-feira (8) que o presidente Jair Messias Bolsonaro estava afastado do partido após orientar um admirador que “esquecesse o PSL”, o núcleo duro do presidente na sigla considera a possibilidade de uma fusão entre o Patriotas e um partido de menos expressão.

Os correligionários do presidente consideram que dessa forma será possível que deputados aliados de Bolsonaro migrem para a nova legenda sem o risco de perder o mandato. O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) têm conversado com dirigentes de outros partidos e avaliam que a fusão é a solução mais rápida, uma vez que dispensa o recolhimento de assinaturas para a oficialização.

Bolsonaro e o presidente do Patriota, Adilson Barroso. Imagem / internet

Quando duas legendas se fundem, aos olhos da Justiça eleitoral é como se surgisse um novo partido. Assim sendo, deputados poderiam migrar para a nova legenda sem a necessidade de aguardar a janela de transferência.