Boi gordo tem queda, produtores se preocupam com cenário

Um fator preponderante para essa queda do boi gordo é a questão climática. A redução das chuvas nas regiões do Centro-Oeste e Sudeste do Brasil tem levado a um aumento na oferta de animais de safra no mercado; veja análise e perspectiva.

mercado físico do boi gordo enfrentou uma nova queda nos preços da arroba em diversas regiões produtoras. De acordo com o analista da Consultoria Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, esse movimento de baixa deve persistir no curto prazo, impulsionado pelo aumento da oferta de animais e pela evolução das escalas de abate.

Um fator preponderante para essa queda é a questão climática. A redução das chuvas nas regiões do Centro-Oeste e Sudeste do Brasil tem levado a um aumento na oferta de animais de safra no mercado.

Após a apuração das vendas do Dia das Mães, o resultado não foi suficiente para uma reação positiva no mercado brasileiro do boi gordo, relata a Scot Consultoria, que acompanha diariamente os negócios nas principais praças do País.

Além disso, continua a Scot, a elevação da temperatura e a ausência de chuvas na maior parte das regiões têm diminuído a vitalidade das pastagens e, consequentemente, o suporte dos bovinos em pasto.

O mercado de São Paulo, especificamente, abriu as compras ofertando menos R$ 3/@ para o boi gordo “comum” e para o “boi China”, de acordo com apuração da Scot Consultoria. Agora, o animal direcionado ao mercado doméstico vale R$ 227/@, enquanto a vaca e a novilha gordas são negociadas por R$ 205/@ e R$ 220/@, respectivamente.

Ainda segundo a consultoria, as escalas de abate nas praças paulistas continuam alongadas, com as indústrias frigoríficas comprando apenas o necessário para preencher as lacunas, o que favorece a pressão de baixa na arroba.

Preços do boi gordo

  • Em São Paulo, Capital, a referência média para a arroba do boi ficou em R$ 227.
  • Em Goiânia, Goiás, a indicação foi de R$ 209 para a arroba do boi gordo.
  • Em Uberaba (MG), a arroba teve preço de R$ 212.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 220.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 213.

Indicador do Boi Gordo CEPEA/B3, referente ao dia 14 de maio de 2024, registrou uma queda de 0,72%, com o valor da arroba fixado em R$ 227,00. Esse resultado reflete a pressão de baixa no mercado, que tem sido influenciada pelo aumento da oferta de animais e pelas condições climáticas adversas, que afetam a vitalidade das pastagens, diminuindo o suporte para os bovinos em pasto.

Mercado atacadista

O mercado atacadista de carne bovina apresentou uma variação de preços nesta semana. O quarto traseiro teve uma queda de R$ 0,10, sendo precificado a R$ 17,90 por quilo, enquanto o quarto dianteiro caiu R$ 0,20, chegando a R$ 13,70 por quilo. Por outro lado, a ponta de agulha teve uma alta de R$ 0,15, sendo vendida a R$ 13,15 por quilo. Esse cenário reflete um período de consumo mais discreto, após o Dia das Mães, e o ambiente de negócios sugere menor apelo para altas de preço durante a segunda quinzena do mês, além das condições climáticas adversas que afetam as pastagens e a oferta de animais.

ℹ️ Conteúdo publicado pela estagiária Juliana Freire sob a supervisão do editor-chefe Thiago Pereira, do Compre Rural.

Tópicos:

Nossa responsabilidade é muito grande! Cabe-nos concretizar os objetivos para os quais foi criado o jornal Diário do acre