COMO QUALQUER OUTRO

Coronel que agrediu deputado chegou em delegacia gritando e teve que aguardar o atendimento

O Coronel Resende, subsecretário da Secretaria de Saúde do Acre, que durante o ato de ocupação do prédio da Sesacre por grevistas, na manhã de terça (10), teria agredido o deputado Jenilson Leite (PSB) chegou na Divisão de Investigações Criminais (DIC) nervoso, gritando e chamando por um delegado. É o que afirma uma fonte do Diário do Acre que estava na delegacia quando o gestor chegou para registrar denúncia contra o deputado.

“Ele chegou lá gritando com o pessoal. Estava nervoso e queria saber onde estava o delegado. Ele queria ser atendido na hora que chegou e já ir falar com o delegado. Todo mundo ficou surpreso com a situação. Ele entrou na delegacia já gritando”, diz o rapaz que prefere não ter o nome divulgado.

A fonte relata, ainda, que os agentes informaram ao subsecretário que ele tinha que aguardar a vez para ser atendido, uma vez que outras pessoas já estavam na fila de espera. Já o deputado, que também registrou um B.O, teria aguardado tranquilamente até o momento de ser atendido.

“Disseram pra ele que alí ele era um cidadão comum como qualquer outro, aguardar o horário para ser atendido. Pouco depois o Dr Jenilson também chegou, numa postura totalmente diferente. O deputado chegou, sentou e esperou tranquilo até o momento de registrar o ocorrência”, comenta a fonte.

Nossa reportagem tentou contato com o coronel. Mas as chamadas realizadas ao seu telefone pessoal não foram atendidas. Também não obtivemos resposta por parte da assessoria da Sesacre.