Corda bamba

Cotado para ser o próximo a cair, secretário vai às redes sociais para afagar o governador Gladson Cameli

Cotado para ser o próximo secretário de Gladson Cameli (Progressistas) a ser exonerado da pasta de Produção e Agricultura do Estado do Acre, Paulo Wadt tratou de distribuir, via rede social Facebook, copiosos elogios ao chefe e também aos colegas do primeiro escalão.

Quanto às notícias segundo as quais os seus dias estariam contados na atual gestão, ele se diz vítimas do que chama de ‘calúnias’.

Secretário Paulo Wadt tenta se segurar no cargo/foto: ac24horas

Pródigo em elogios, Wadt foi mais econômico nas críticas que endereçou ao governo anterior. Disse, por exemplo, ter recebido a Secretaria de Agricultura “como um verdadeiro cemitério de máquinas e projetos”, acrescentando, em relação a estes últimos, que milhões de reais em investimentos teriam sido empregados “em ações sem resultados efetivos”.

Leia a íntegra da mensagem de Paulo Wadt.

Nota de Esclarecimento

Há semanas diversos fatos sobre minha pessoa ou atuação como secretário de Produção e Agronegócio do Acre têm sido noticiados, todos revestidos de inverdades ou distorções dos fatos.

Minha primeira filiação ao PSDB ocorreu sob a gestão do saudoso professor José Mastrângelo, que nos fins de semana ministrava aulas no partido sobre políticas de estado, ética partidária e sobre a importância do cuidar das pessoas e das coisas públicas. Sou político desde então, e embora meu destaque maior tenha sido na área profissional, fiz amigos entre os correligionários e os adversários políticos. Por isto, considero que tenho uma formação e laços políticos amplos e respeitosos. Todo o resto diferente disto são inverdades que quem conhece meus valores sabe muito bem avaliar.

Hoje, observo muito e procuro seguir as orientações da equipe de governo, que de forma lúcida e humana, tem conduzido a mudança no Estado do Acre de forma republicana, transparente e democrática, e nos ensina que o papel do gestor público é criar e respeitar as diferenças de ideias, de projetos, e principalmente valorizar as pessoas pelo seu mérito e não por seu engajamento em um ou outro partido.

Sobre o trabalho na Secretaria em si, tenho enfrentado desafios, pois recebemos não apenas um cemitério de máquinas, como dito pelo Senador Petecão, mas também um cemitério de projetos, onde milhões de reais em investimentos foram realizados em ações sem resultados efetivos. E, mas trabalhar para que possamos recuperar a maior parte destes investimentos por meio de ações concretas de assistência técnica e extensão rural.

E são as pessoas que farão a diferença neste governo. Estamos trabalhando sem descanso para que o produtor rural familiar possa voltar a sonhar com seu título de terra, que possa fazer de sua terra uma atividade produtiva e rentável. E assim possa ter o futuro de seus filhos garantido com a força de seu trabalho.

Para exemplificar, somente em uma ação em cooperação com o INCRA, no projeto de regularização fundiária, planejamos atender mais de 12 mil famílias regularizando sua situação junto ao Tribunal de Contas da União. Também retomamos a assistência técnica pela Secretaria e nosso planejamento será duplicar o volume de crédito rural concedido aos produtores rurais. E temos espaço para ao final do governo Gladson Cameli, termos alcançado mais de quatro vezes o volume atual, com base em recursos já alocados anualmente para a agricultura no Estado do Acre pelo programa federal “Plano Safra”.

Também temos estabelecidas parcerias informais com o setor produtivo, tanto ao nível local, como regional. Nosso trabalho tem sido forte com produtores que querem investir na cadeia de grãos, atraindo investidores e oportunizando negócios para o Estado do Acre, em um movimento que atrairá vultosos investimentos ao Estado do Acre sem qualquer despesa significativa ao governo, mas que será beneficiado pelo aquecimento da economia e arrecadação de impostos na cadeia de produção.

Em cooperação com outras Secretarias, estamos tratando da modernização da política tributária do Estado, da atração de agroindústrias e mesmo de indústrias do setor não agrícola, incentivando o empreendedorismo e atraindo eventos importantes para o Estado do Acre. Inclusive, na busca da recuperação econômica de investimentos industriais do governo anterior que se encontram inoperantes.

Atuamos também no planejamento de ações de recuperação emergencial de pontos críticos nos ramais, no esforço de reverter a situação de abandono que se encontram.

Estabelecemos ainda cooperação com os Estados do Amazonas e Rondônia, inclusive, este segundo, já formalizado em termo de Protocolo de Intenções.

Como não se cansa de repetir o Governador Gladson Cameli, somos a mudança e este governo já deu certo. E a prova disto, não é nada mais senão a tentativa de alguns em desconstruir a nova Visão de Futuro que estamos entregando ao Acre.