Dívida antiga

Após acordo com fornecedor, Iapen diz não faltar mais tornozeleira eletrônica no estado

Uma liminar da justiça e a negociação feita entre o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) e a empresa que fornece o serviço de monitoramento de presos do regime semiaberto garantiram a retomada do fornecimento das tornozeleiras eletrônicas. A dívida seria de pouco mais de R$ 1 milhão – referente aos meses de outubro a dezembro de 2017, bem como de janeiro a dezembro de 2018 –, mas os valores serão pagos de forma parcelada.

Segundo o diretor-presidente do Iapen, Lucas Bolzoni, cerca de 50 beneficiários da progressão de regime chegaram a não ter o monitoramento eletrônico por cerca de uma semana, mas houve a normalização com a chegada dos equipamentos no último dia 17.

Equipamentos teriam chegado no dia 17, disse diretor do Iapen/Internet

“As tornozeleiras chegaram no dia 17 e foram instaladas no dia 18. Já está normalizado, graças a Deus”, afirmou o gestor.

Em ofício, a juíza da Vara de Execuções Penais, Luana Campos, chegou a divulgar a todas as autoridades que no dia 17 ainda havia 70 apenados do regime semiaberto sem o equipamento.

De acordo com o Iapen, existem 1.468 pessoas sendo monitoradas por meio eletrônico, sendo que elas só podem sair de casa para trabalhar.