Papelão

Deputados governistas fazem manobra e evitam a instalação da CPI da conta de luz na Assembleia Legislativa do Estado

A base de apoio do governador Gladson Cameli (Progressistas) na Assembleia Legislativa do Estado (Aleac) não retornou após o intervalo de mais de duas horas na sessão desta terça-feira (16), e a Mesa Diretora da Casa buscou protelar a leitura do pedido de abertura da Comissão Parlamentar Inquérito (CPI) para investigar os reajustes na tarifa de energia elétrica. Na tentativa de evitar a investigação, membros da Mesa Diretora, incluindo o presidente, Nicolau Júnior (Progressistas), chamou os deputados que assinaram o requerimento para argumentar que não haveria legalidade no pedido de CPI.

A demora e as informações repassadas para os consumidores que estavam na galeria resultou em mais uma onda de protestos contra a base governista. Com isso, a população prometeu ficar dentro da Aleac até a leitura do pedido de CPI.

Deputados a favor da CPI aguardam deliberação dos governistas/Diário do Acre

Para os membros da base governista, o pedido original, com 16 assinaturas, teria perdido a validade em decorrência da retirada de boa parte dos apoiadores. O deputado Jenilson Leite (PCdoB) discordou, argumentando que as últimas 13 assinaturas foram encaminhadas em novo requerimento.

Para o deputado Fagner Calegário (PV), a jogada do governo se mostra “atrapalhada” ao tentar atrasar a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito.

“Estão tentando evitar o inevitável. Já temos assinaturas. O que se apresenta é um governo desorganizado, cuja base de apoio está indo contra os interesses da população”, afirmou o parlamentar.

A expectativa é de que os deputados governistas tentem esvaziar as sessões de manhã, quarta-feira (17, para protelar a instalação da CPI.