Reconhecido por vídeo

Família de jovem degolado no Acre diz que ele era motoboy e não tinha passagem pela polícia

Raimundo Lacerda do Nascimento, de 23 anos, é o nome da vítima decapitada no final de semana no Acre. O homicídio foi gravado por um celular e as imagens começaram a circular em grupos do WhatsApp no último sábado (18). A família reconheceu Raimundo por meio das imagens e acredita que ele morreu em uma ‘emboscada’. A Polícia Civil investiga o caso.

Morador do loteamento Sol Nascente, no bairro Vila Acre, Raimundo aparece em dois vídeos gravados por membros de uma facção criminosa. No primeiro ele está de joelhos e com as mãos amarradas para trás. No segundo, de bruços no chão, ele é degolado ainda vivo por um dos assassinos.

Raimundo Lacerda pouco antes de ser assassinado/Foto: reprodução

Segundo a polícia, ainda na sexta-feira (17) um parente da vítima esteve na delegacia para informar que a havia reconhecido nas imagens. Ele contou que Raimundo trabalhava como motoboy para a Secretaria Municipal de Educação e estava cursando Recursos Humanos em uma faculdade particular.

De acordo com o relato, a vítima não tinha passagem pela polícia ou qualquer envolvimento com facção criminosa.

Raimundo teria saído de casa na última quarta-feira e desde então não foi visto. Sua motocicleta – uma CG Start, de cor vermelha e placa QLV 8208 – também sumiu.

A família diz que ele pode ter sido enganado por uma jovem que o atraiu até o bairro Taquari.

Raimundo teria começado a trocar mensagens com a moça através de um aplicativo de celular e saiu de casa para conhecê-la. Desde então está desaparecido.