FALA, GOVERNADOR!

Gladson reclama de excesso de burocracia e de 'muita má vontade' no setor público

O governador Gladson Cameli (Progressistas) afirmou, na manhã desta segunda-feira (2), no programa ‘Fale com o Governador’, da Rádio Aldeia FM, que este primeiro ano de mandato foi apenas ‘um ensaio’ para seu governo. “O grosso começa mesmo é em 2020”, disse ele.

Já no começo da entrevista ele criticou o excesso de burocracia do estado e o que chamou de ‘falta de boa vontade’ no setor público. Sem dizer claramente se falava de servidores de carreira ou de nomeados por ele ou pelo vice-governador Major Rocha (PSDB), sugeriu que algumas ações não se desenrolam com celeridade graças à má vontade de alguns.    

Nenhuma palavra sobre o agronegócio, principal bandeira de campanha/Foto: reprodução

“Este primeiro ano eu fecho com chave de ouro. Eu tive todas as dificuldades [possíveis], administrei centavos, fizemos convênios com todas as prefeituras. Eu trato com o dinheiro público com toda a responsabilidade”, enfatizou.

Eleito sob a promessa de desenvolver o Acre a partir de investimentos no agronegócio, o governador nem sequer tocou no assunto ao responder a uma pergunta sobre as perspectivas da economia para o ano que vem.

Depois de falar sobre a construção das pontes do Sibéria, em Xapuri, e do Segundo Distrito de Sena Madureira, que prometeu para este ano, ele citou a compra de máquinas pesadas para os serviços de melhorias de ramais em todo o estado.

“Eu tenho certeza que no ano que vem nós vamos colocar em prática o grosso”, complementou.

Em resposta ao apelo de uma ouvinte para que o estado debele a onda de violência que tomou conta do Acre, Gladson se limitou a citar a aquisição de 120 viaturas policiais antes de parabenizar o secretário de Segurança Pública e o comandante da Polícia Militar ‘pelo trabalho que eles vêm fazendo’.