Ex-coronel

Hildebrando vai a juri popular no Piauí acusado de planejar a morte do assassino de seu irmão

O ex-deputado federal Hildebrando Pascoal, que atualmente está preso no Acre, é acusado de ser o autor intelectual da morte de José Hugo Alves Júnior, conhecido como Huguinho, em janeiro de 1997, na região de Parnaguá, no Piauí.

O julgamento de Hildebrando ocorre no próximo dia 13 e novembro e a participação dele poderá ocorrer por videoconferência. “Considerando que há notícia de que o Acusado HIDELBRANDO PASCOAL NOGUEIRA NETO encontra-se custodiado no Estado do Acre, OFICIE-SE a Ilustre Corregedoria Geral de Justiça do Estado do Piauí solicitando auxílio a esta unidade judiciária na realização da referenciada sessão de julgamento, possibilitando a participação do aludido réu, seja com o recambiamento provisório do Acusado, seja com a disponibilização de sistema de videoconferência (art. 185, §2o, do CPP), inclusive intermediando eventuais tratativas com o Egrégio Tribunal de Justiça do Acre”, diz o despacho assinado pelo juiz da vara única da Comarca de Parnaguá, José Sodré.

Em 2014, Hildebrando foi ouvido por carta precatória sobre o crime, no Acre, enquanto estava preso, mas preferiu silenciar às perguntas do juiz.

Entenda o caso

Huguinho é acusado de ter matado o subtenente Itamar Pascoal, irmão de Hildebrando, com um tiro no ouvido, após discussão num posto de gasolina, no dia 30 de junho de 1996. Agilson Firmino dos Santos, o Baiano, teria ajudado Huguinho a fugir.

Hildebrando Pascoal, com auxílio do primo Aureliano Pascoal, então comandante da Polícia Militar do Acre, mobilizou a corporação para vingar a morte do subtenente.

De acordo com a denúncia do Ministério do Piauí, Huguinho foi localizado e sequestrado por Hildebrando, em janeiro de 1997, na fazenda Itapoã, em Parnaguá. De lá, foi levado para o município de Formosa do Rio Preto (BA), onde foi torturado e assinado, sem chances de defesa e com requintes de crueldade.