Duelo de gigantes

Hoje é dia de Brasil e Argentina, mas cadê o espírito do futebol?

Há pelo menos dez anos atrás os jogos da seleção brasileira eram vistos quase como um feriado nacional. As pessoas faziam churrascos, reuniam a família inteira, se vestiam a caráter e vibravam a cada grito de gol.

Hoje muitos ficam até surpresos quando alguém diz que é dia de jogo da seleção. Mas hoje é dia, e não é só um jogo comum. É um Brasil e Argentina numa semi-final de Copa América.

As fases não são das melhores, as duas seleções que já chegaram a ser consideradas as melhores do mundo vivem momentos difíceis. Um Brasil muito criticado desde a trágica eliminação na Copa do Mundo de 2014 e uma Argentina que naquele mesmo ano foi vice-campeã, acumulou outros vice-campeonatos depois disso e por pouco não se classificou para a Copa de 2018.

Cada qual tem duas vitórias nessa Copa América, o Brasil vem de dois empates contra Venezuela e Paraguai. A Argentina de derrota para a Colômbia e empate com o Paraguai. Hoje no Mineirão, às 19h30 será um duelo de gigantes apequenados pela má fase.

Nenhum dos dois chegou como favorito ao título – mesmo o Brasil tendo a vantagem de jogar em casa – mas acabaram assumindo esse protagonismo quando os dois favoritos surpreenderam negativamente ao serem eliminados ainda nas quartas de final. O Uruguai surpreendido pelo Peru, a Colômbia pelo Chile.

A surpresa das quartas de final mostra o quanto o futebol sulamericano é uma caixinha de surpresas. Hoje esperamos que o Brasil do samba e a Argentina do tango seja mais um grande espetáculo pelo bem do espírito do futebol.

Para recordar: O Brasil e Argentina nos tempos de Ronaldo. Foto/Internet