Mistério que perdura

Incêndio na Assembleia Legislativa do Acre é lembrado em imagens e relatos de oficiais do Corpo de Bombeiros Militar

O agora major do Corpo de Bombeiros, Cláudio Falcão, fez nesta terça-feira (30) um relato sobre o dia 30 de abril de 1992, quando o antigo prédio da Assembleia Legislativa, localizado na Praça dos Três Poderes, no centro de Rio Branco, foi tomado pelo fogo. As causas do incêndio continuam desconhecidas.

No dia do incidente, o Corpo de Bombeiros mobilizou todo seu efetivo, inclusive militares que estavam de folga.

Perda total e causa nunca revelada/Arquivo Corpo de Bombeiros-AC

Por ser ainda horário de expediente na Aleac, havia muitos funcionários no interior do prédio. Parte dos que estavam no pavimento superior não conseguiu descer ao hall, e por isso buscou abrigo no terraço.

Sem equipamentos adequados para o salvamento, pelo menos dois militares tiveram que escalar as paredes do prédio para resgatar as três pessoas que estavam refugiadas no terraço.

O cabo Pedro Almeida, hoje na reserva, e o soldado Carlos Batista, atual comandante-geral da corporação, foram os protagonistas da escalada que salvou os três servidores.

“Sinto-me recompensado e realizado frente às diversas operações que realizei no Corpo de Bombeiros Militar do Acre. Mas o incêndio de 1992 marcou de forma muito contundente a minha vida. Ver em segurança aquelas pessoas que minutos antes estavam desesperadas no topo do prédio foi uma das maiores satisfação que tive em toda a minha vida”, afirmou major Cláudio Falcão.