SEM CARTEIRA

Mais da metade dos acreanos ocupados vivem na informalidade, segundo IBGE

A taxa de desemprego caiu em 16 estados em 2019, segundo divulgou nesta sexta-feira (14) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado que tem a maior taxa de desempregados é o Amapá (17,2%), seguido da Bahia (17,2%). Santa Catarina (6,1%), Rondônia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (todos com 8%) foram os que apresentam o menor número de desempregados.

Apesar da queda no desemprego no ano passado, a taxa média anual de informalidade em 2019 ficou em 41,1% da população ocupada, maior nível desde 2016, e também foi recorde em 19 estados e no Distrito Federal. O indicador refere-se à soma dos trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar.

50,2 % dos acreanos estão na informalidade. Imagem/internet

As maiores taxas de informalidade em 2019 foram registradas no Pará e Maranhão, 62,4% e 60,5% respectivamente. A menor foi registrada em Santa Catarina (27,3%). Das 27 unidades da federação, 18 registraram taxa de informalidade acima da média nacional em 2019. Em 11 estados ela ultrapassou os 50%. No Acre, 50,2 % da população ocupada, vivia na informalidade em 2019, segundo o IBGE.