Por conta própria

Mais de 180 microempresas foram abertas no Acre este ano, segundo Sebrae

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae) informou à reportagem do Diário do Acre nesta quinta-feira (11) que nos três primeiros meses deste ano foram formalizados 184 microempreendimentos individuais no Acre.

Ainda assim, o número é inferior se comparado ao mesmo período do ano passado, quando cerca de 223 pequenos negócios abriram as portas no estado.

Segundo a assessoria de imprensa do Sebrae, as adesões ao chamado MEI (Microempreendedor Individual) foram feitas através da Central do Empreendedor, na OCA. “Essa formalização pode ser feita também online”, destacou.

Crise econômica foi um fator para a criação de novas microempresas/Internet

De acordo com Cláudio Roberto, analista técnico e gerente do escritório regional do baixo Acre do Sebrae, o MEI veio para facilitar a vida dos pequenos empreendedores, tais como pipoqueiros e açougueiros, entre outras dezenas de profissionais liberais que atuavam informalmente no mercado de trabalho.

“Nessa modalidade eles passam automaticamente a ser beneficiários do Intitulado Nacional de Seguro Social (INSS). Ou seja, o MEI é uma empresa, tem CNPJ, pode participar de licitações e goza de isenção tributária, por exemplo”, explicou.

Vantagem da aposentadoria

Cláudio Roberto explicou que o microempreendedor individual tem a vantagem de receber aposentadoria, desde que contribua mensalmente com Previdência Social. Com 15 anos de contribuição, o MEI pode se aposentar, bastando ter a idade exigida por lei.

Áreas de atuação

Quem opta pelo MEI pode atuar nas áreas de comércio, indústria e serviços. Vale lembrar que cada microempreendedor tem direito a contratar um funcionário.