OPERAÇÃO DA PF

Membro do PP diz que escândalo deverá inviabilizar candidatura de Ilderlei à reeleição

A Operação Presságio, da Polícia Federal, pode ter sepultado de vez as pretensões do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, de disputar a reeleição pelo Progressistas. Membro do partido no município afirma que a possibilidade de que Ilderlei não disputasse as eleições deste ano já haviam sido cogitadas em 2019, devido à grande rejeição popular à sua gestão.

Para agravar ainda mais a situação do prefeito, nos próximos dias os juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC) devem julgar o processo em que ele é acusado por compra de votos na campanha de 2016.

Operação da PF na prefeitura de CZS, na manhã desta sexta-feira (14)/Foto: assessoria

O caso, que envolve ainda o ex-prefeito Vagner Sales (MDB), deveria ter tido um desfecho no dia 2 de dezembro de 2019, por ocasião do julgamento do recurso impetrado por Ilderlei. Mas acabou sendo adiado para este mês.

A direção regional do Progressistas no Acre não se manifestou sobre as ações da polícia federal no município. Mas a fonte consultada pelo Diário do Acre, que pediu para não ter o nome revelado, dá como certa a decisão do partido de negar ao prefeito a possibilidade de disputar a reeleição.