“Não é preciso matar bebê para punir estuprador”, declara Nikolas

Nikolas Ferreira (PL-MG) rebateu a narrativa difundida pela esquerda de que o aborto é uma maneira de se vingar de estupradores. Nikolas, que é coautor do projeto de lei antiaborto 1.904/ 2024, argumentou em sua rede social X que não é preciso “matar bebê” para punir um estuprador, mas sim “endurecer as penas” para estupro. O deputado destacou que a discussão em torno do aborto deveria se fundamentar em pontos técnicos e factuais, descartando alegações como “sem útero, sem opinião”.

O deputado federal também mencionou o uso de falsas alegações de abuso sexual como razão para realizar um aborto, conforme orientam páginas de organizações feministas na internet, e criticou os que, em sua opinião, querem legalizar o aborto no país por meio de “pequenos passos”.

Tópicos:

PUBLICIDADE

Preencha abaixo e receba as notícias em primeira mão pelo seu e-mail

PUBLICIDADE

Nossa responsabilidade é muito grande! Cabe-nos concretizar os objetivos para os quais foi criado o jornal Diário do acre