RETRATO POLÍTICO

O ano letivo começou com novidade: duas refeições por turno; gol de placa de Gladson

Fake News

O deputado estadual José Bestene (PP) parece ter perdido a paciência com notícias falsas (segundo ele) envolvendo o seu nome. Avisou da tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (12), que vai processar quem continuar a criar “fake news” contra ele.

Bestene reclamou das “fake news”. Imagem/internet

Na justiça

O deputado progressista reclamou que o seu nome tem sido muito badalado nas redes sociais nos últimos dias. “Tem muitos parasitas nas redes sociais que afetam a minha família. A partir de agora, quem utilizar o meu nome, de má fé, vai se ver com a justiça”

Prejudicial

Bestene disse ainda que “A tecnologia é prejudicial em algumas coisas, pois perdemos a sensibilidade em determinados assuntos”, finalizou.

Alfinetada

O que José Bestene não esperava, é que o deputado estadual Fagner Calegário (PL), ao discursar logo em seguida, proferisse a seguinte alfinetada: “De tecnologia a sua família entende”.

Contrato

Calegário se referia ao termo de adesão à ata de registro de preços e o extrato de contrato entre a Ageac – Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado do Acre – e a empresa C. Com Informática Importação e Exportação.

Deputado Fagner Calegário. Imagem/internet

Entendendo o caso

O que ocorre é que a presidente da Ageac, Mayara Cristine Bandeira de Lima, é nora do deputado progressista e a empresa contratada tem como sócio o seu genro, Cristiano Ferreira. Após a provocação, Bestene preferiu nada responder ao deputado liberal.

Gol de placa

O ano letivo começou esta semana na maioria das escolas estaduais (Só não começou ainda nas escolas de difícil acesso) com uma excelente novidade: os alunos agora irão fazer duas refeições por turno. Almoço e lanche. Os alunos do período noturno retornarão para casa, jantados. Bola super dentro de Gladson Cameli. Na verdade um gol de placa do governador.

Politicagem não

É obvio que em todo começo de execução de um projeto, acontecem falhas pontuais. De logística, por exemplo. Mas usar dessas eventuais falhas para criticar a ação do governo de promover duas refeições por turno nas escolas, não passa de politicagem da mais baixa estirpe.

Todos juntos pela educação

A semana que começou com uma reunião de união dos poderes em prol da segurança pública, poderia terminar com a mesma união em favor da educação em nosso estado. Não se resolve o problema da violência a curto prazo. Educação e justiça social são os únicos caminhos para a paz. Leonel de Moura Brizola e Darcy Ribeiro já diziam isso há uns 40 anos atrás.

Barriga cheia

Alguns bobos que criticam ou minimizam a atitude do governo de promover duas refeições por turno nas escolas, certamente não devem saber o que é realizar qualquer atividade de barriga vazia. Demagogia pura. Com o diria minha vó, “o aluno aprende mais quando está de barriga cheia”. Alguém discorda dela?