Políticos de fora do Brasil criticam decisão de Moraes sobre abertura de inquérito contra Musk

Além da imprensa internacional repercutir a decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes sobre a abertura de um inquérito contra o dono da rede social X, Elon Musk, políticos da direita global também se manifestaram sobre o caso.

O líder do partido português Chega, deputado André Ventura, a terceira maior força política do país, divulgou um vídeo em apoio às manifestações do bilionário, afirmando que o “Brasil está a beira da ditadura”.

Para Ventura, a decisão da justiça brasileira é um retrocesso para a liberdade de expressão. “Por isso, nenhum líder político, em nenhum lugar do mundo, deve ficar em silêncio diante do que está acontecendo. Portugal tem uma grande responsabilidade para com o Brasil”, disse.

Em apoio a Musk, o líder do partido de direita nacionalista diz que “o autoritarismo não resiste a limitar a liberdade”, parabenizando o empresário por seu posicionamento.

Outra deputada do partido, Rita Maria Matias, afirmou que a Suprema Corte brasileira é uma ameaça ao funcionamento da plataforma no país. “Os funcionários do escritório do X no Brasil estão sendo ameaçados após a divulgação das restrições aplicadas por Moraes contra homens e mulheres da direita brasileira”, disse na rede social. “Onde estão agora os admiradores de Lula da Silva? Onde está a esquerda portuguesa que fez juras de amor ao ‘país irmão’? A democracia brasileira foi sequestrada por Lula e seus súditos”.

Ainda em Portugal, a deputada Joana Cordeiro, líder do partido Iniciativa Liberal, manifestou preocupação com o comportamento do ministro Alexandre de Moraes e com a “qualidade” da democracia brasileira.

“Não é normal que, numa democracia, o poder judicial possa ordenar o encerramento de contas de redes sociais de forma arbitrária. O que se passa no Brasil deveria preocupar a todos, principalmente aos que defendem a liberdade de expressão e a democracia”, afirmou. A política ainda relacionou o episódio à ditadura, dizendo que “espera que o Brasil não caia agora em uma outra, seja ela de que tipo for”.

Repercussão na Espanha

O líder do partido espanhol Vox, Santiago Abascal, disse no X que “Moraes é o carcereiro preferido de Lula”. Segundo o político, o ministro é “a figura que permite dar matizes de legalidade e institucionalidade democrática à arbitrariedade da deriva autocrática de seu governo”.

Ainda, o líder de direita afirmou que “não existe justiça em um país onde as liberdades políticas, de expressão e de imprensa estão suspensas”.

Abascal convocou todos os países democráticos a se manifestarem sobre a ação judicial no Brasil contra Musk. “Nenhum governo democrático pode permanecer calado diante do que está acontecendo”, disse.

Tópicos:

Nossa responsabilidade é muito grande! Cabe-nos concretizar os objetivos para os quais foi criado o jornal Diário do acre