NADA MUDOU

População continua reclamando que espera é muito demorada no novo PS

Com a inauguração do novo prédio do Pronto Socorro de Rio Branco, o que se esperava era que o atendimento fosse melhorado. Mas para o jardineiro Francisco Campos, o serviço ainda continua precário. Na manhã de segunda-feira (12) ele levou o filho, Kemyl da Silva, de 21 anos, ao hospital. É que o jovem sofreu um acidente de moto, e fraturou uma das pernas. Na colisão contra um carro, Silva também machucou a região das costelas. É agora sente dificuldade para respirar.

Seu Francisco demonstra preocupação com o filho, e reclama que a espera é bastante demorada.

A respeito do caso do jovem Kemyl da Silva, que segundo familiares, esperou por mais de três horas para receber atendimento no Pronto Socorro, o diretor Areski Peniche, informou que o paciente poderia ter procurado atendimento numa Upa. E que a demora pode ter sido devido o fato de o Pronto Socorro ser um hospital voltado para situações de urgências e emergências.

Peniche reconheceu a deficiência referente ao número de médicos. Mas disse que com a chegada dos profissionais classificados no último processo seletivo da saúde, o atendimento tende a melhorar. Além disso, ele garantiu que o hospital deve ganhar nos próximos dias mais 10 leitos de UTI.