Calúnia e Difamação

Prefeita de Rio Branco vai à justiça para reparar honra contra caluniadores 

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), vem fazendo pessoalmente as vistorias nas obras da operação tapa-buracos na cidade. No sábado, acompanhada de engenheiros e técnicos, ela conversou com moradores sobre as prioridades das obras a ser executadas durante o verão.

Mesmo admitindo ter poucos recursos próprios para resolver todos os problemas existentes de infraestrutura, Socorro Neri tem se mostrado otimista.

Recentemente, ela foi alvo de calúnias nas redes sociais. Inclusive vem movendo processos na justiça contra os seus acusadores. Veja o que ela escrevei sobre o assunto:

Prefeita Socorro Neri diz aceitar críticas, mas não ofensas/Foto: internet

“Amigos, chamar uma gestora pública de DESONESTA e, não satisfeito, sugerir que essa é uma prática costumeira, NÃO É CRÍTICA, É CRIME!

Recorri à JUSTIÇA buscando a devida reparação. É assim que se procede na DEMOCRACIA. Longe do ‘olho por olho, dente por dente’, no sistema democrático quem acusa, precisa provar; quem se sente ofendido, tem o direito de buscar a reparação.

Na condição de prefeita do nosso município, tenho usado a legalidade, o planejamento, a definição de critérios técnicos, a busca por melhor custo-benefício e o atendimento às demandas coletivas como ferramentas para superarmos as adversidades impostas pela crise econômica que atinge a todos os municípios brasileiros.

Nesse processo tenho recebido críticas diárias que se referem à minha forma de conduzir a gestão e aos serviços realizados; e tenho buscado, a partir de cada crítica, corrigir o que precisa ser corrigido.

Mas não posso considerar como crítica –  sob o argumento da liberdade de expressão – as manifestações públicas que ofendam a minha honra.

Como todos têm acompanhado, tenho sido alvo de um massacre moral nas redes sociais, sem precedentes.

Parte dessa onda de ataques advém da insatisfação com os problemas de infraestrutura da nossa cidade que são históricos. Nesse caso, o excesso verbal poderia ser convertido em crítica propositiva. A ofensa pessoal, o nivelar por baixo todos os gestores, o deboche, no final das contas não ajudam a resolver os problemas da cidade, muito pelo contrário.

Mas parte dessa onda de ataques tem sido orquestrada, seja por aqueles que têm tido interesses individuais contrariados (e são muitos!), seja por aqueles que, ansiosos pelo poder a qualquer custo, anteciparam as eleições de 2020.

O processo que estou movendo contra um dos meus detratores – e que gerou uma nova onda de detratações – não é o primeiro e, pelo ‘baile que segue’, não será o último.

Ao massacre moral – próprio desse tempo de valores invertidos nas redes sociais – responderei cumprindo meu dever como servidora pública e exercendo meu direito de pessoa que, ao se sentir ofendida, busca os remédios legais.

Aos amigos, familiares, colegas de trabalho e cidadãos que têm me enviado mensagens de apoio, minha GRATIDÃO”.