FICA QUEM OBEDECER

Prefeito de Porto Acre ameaça demitir servidores temporários da saúde

Um grupo de servidores temporários da Secretaria Municipal de Porto Acre procurou a reportagem do Diário do Acre para denunciar a postura, que classifica de “arrogante” por parte do prefeito Bene Damasceno (Progressistas), demonstrada durante uma reunião ocorrida na unidade de saúde da família Ilda Barbosa de Souza, na última sexta-feira (22).

Convocada pela Secretária de Saúde, a reunião era meramente administrativa, e se destinava a tratar das novidades trazidas pelo novo programa do Ministério da Saúde, o Planifica SUS, que deverão ser introduzidas a partir de janeiro de 2020.

Unidade de saúde onde ocorreu a reunião com o prefeito /Foto: Diário do Acre

Presente, o prefeito, utilizando-se de tom intimidatório para com os presentes – em sua maioria servidores temporários, portanto sem garantias contratuais quanto à permanência no trabalho –, teria feito um discurso ‘malicioso’, conforme descrito pelos denunciantes.

Alegando necessitar dos servidores da saúde, exaltava sua importância para a administração, para em seguida salientar que demitiria sumariamente aqueles que não se enquadrassem nas normas que ele pretende impor doravante.

Dizendo-se ainda impossibilitado de cumprir com a obrigação de pagá-los dentro do mês trabalhado, assim como tem feito o governo do estado, anunciou que o pagamento passará a ser realizado no mês subsequente, ou seja, não mais em dia, como vinha ocorrendo.

“A todo instante o prefeito repetia que quem não estiver satisfeito, que peça demissão”, disse um servidor que pediu para não ter o nome revelado.

Procurado para falar sobre o assunto, o prefeito Bene Damasceno não foi encontrado pela reportagem até a publicação desta matéria.