Só os dele

Prefeito do município de Manoel Urbano não demite comissionados e é impedido pelo TCE de contratar professores

O prefeito de Manoel Urbano, Tanízio de Sá, até tentou, mas os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) mantiveram a condenação e a liminar que impede a realização de processo seletivo. Na decisão, o gestor precisa adequar os gastos do município ao limite constitucional, deixando a folha de pagamento abaixo dos 54% do orçamento.

Tanízio foi condenado em 2018 porque, além de manter um gasto elevado com salários, ainda abriu processo seletivo para a contratação provisória de professores.

Tanízio gasta acima do teto previsto na LRF/Internet

Os conselheiros decidiram pela nulidade do ato do político e a suspensão, de forma liminar, do certame.

Na tentativa de reabrir a seleção, o prefeito alegou que os alunos estavam sendo prejudicados, mas não apresentou provas que pudessem apontar para a demissão de cargos de confiança.