Tudo igual

Recém-nascidos têm cordão umbilical amarrados com luvas cirúrgicas por falta de ‘clamp’ em hospital do interior

Por falta de material no Hospital João Câncio Fernandes, em Sena Madureira, onde também funciona a maternidade estadual no município, enfermeiros e auxiliares de enfermagem têm sido obrigados a usar luvas cirúrgicas para amarrar o cordão umbilical dos recém-nascidos.

O ‘clamp umbilical’ é o artefato estéril utilizado para esse fim, e pode ser encontrado nos grandes centros do país por apenas três reais a unidade – caso a compra se limite a um pacote de 15 unidades.

Foto comprova descaso do governo/Reprodução

Segundo profissionais de área de saúde que atuam no hospital, o uso de luvas cirúrgicas é inadequado pelo risco de os recém-nascidos contraírem infecções.

Segundo a denúncia feita por um site da região do Iaco, a carência de material médico-hospitalar no João Câncio Fernandes não é nenhuma novidade.

O uso improvisado de luvas cirúrgicas para prender o cordão umbilical dos bebês não apenas vem sendo motivo de apreensão dos pais, como de revolta entre os servidores do hospital.

Repercutida na rede social Facebook, a denúncia causou revolta entre os moradores do município.

Clamp custa R$ 3, mas Gladson prefere ‘fazer caixa’/Internet

O caso foi confirmado por uma servidora da unidade de saúde.

Por meio da rede social, ela admite a legitimidade da reivindicação, mas ressalva que a equipe de enfermagem não pode ser responsabilizada pelo improviso.

“A população tem que reivindicar dos governantes”, comentou ela.

Outro lado

A reportagem do Diário do Acre tentou, sem êxito, ouvir a direção do Hospital João Câncio Fernandes.

Também procurado, o secretário estadual de Saúde, Alysson Bestene, não atendeu às ligações telefônicas.

Com informações do Yaco News