Interventor-geral

Secretário da Casa Civil se tornou ‘emissário do mal’ do governo de Gladson Cameli, diz deputado Fagner Calegário

Enquanto setores do governo padecem por falta de gestão, muitos outros vêm recebendo mais atenção do que o necessário, a exemplo de articulações e manobras hoje ditadas pela Casa Civil, que vem usando a força da caneta que parece ter mais carga do que a do próprio governador, disse nesta terça-feira (7) o deputado estadual Fagner Calegário (PV), em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Alec).

Segundo Calegário, o secretário da Casa Civil, Ribamar Trindade, tem feito indicações até para merendeiras e faxineiras de escolas e outros setores da administração pública estadual, além de intervir na substituição de trabalhadores terceirizados.

Ribamar Trindade, o ’emissário do mal’, segundo Fagner Calegário/Internet

O parlamentar denunciou o que classifica de ‘mandos e desmandos’ de Ribamar Trindade na atual gestão do governador Gladson Cameli (Progressistas). Ele também   relembrou os discursos de palanque com promessas não honradas feitas pelo atual governador do Acre, entre as quais a de acabar com as perseguições a servidores estaduais e prestadores de serviço terceirizados.

“Tenho recebido reclamações não só de empresas, mas de secretários de estado dizendo que o chefe da Casa Civil vem se dando ao trabalho de indicar faxineiras e merendeiras.  O secretário da Casa Civil não tem o que fazer?”, criticou o deputado.

Segundo ele, o governo que não ia perseguir ninguém hoje é ‘o senhor do mal’.

“Temos hoje a figura do secretário Civil como emissário do mal. Isso não é função do secretário da Casa Civil, como também vem a ser uma prática ilegal”, concluiu Calegário.