Zema diz que alunos de MG não vão precisar se vacinar contra a covid

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que não será obrigatória a apresentação de comprovante de vacina contra a covid-19 para matricular os alunos na rede estadual. A declaração foi feita no domingo 5.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o governador aparece ao lado do senador Cleitinho (Republicanos-MG) e do deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG). Na publicação, os políticos afirmam que a decisão visa a “garantir a liberdade dos alunos de Minas Gerais”.

A decisão vai contra a orientação do Ministério da Saúde. A pasta orienta a exigência de vacinação.

Vacina contra covid passa a ser obrigatória para crianças

Desde 1º de janeiro, os pais são obrigados a levar seus filhos para receberem a vacina contra a covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde, o foco será nas crianças de 6 meses a 5 anos.

Em outubro, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva incluiu a vacinação contra covid no Programa Nacional de Imunização (PNI). O Ministério da Saúde anunciou ainda que, em caso de descumprimento, haverá previsão legal de aplicação de multas e até perda de benefícios sociais, como Bolsa Família.

As crianças dessa faixa etária devem receber três doses da vacina contra a covid-19. A primeira deve ser aplicada aos 6 meses; a segunda, aos 7 meses; e a terceira, aos 9 meses. A partir dos 5 anos, as doses de reforço serão apenas para as crianças que integram o grupo prioritário — com comorbidades e deficiência permanente.

Tópicos:

Nossa responsabilidade é muito grande! Cabe-nos concretizar os objetivos para os quais foi criado o jornal Diário do acre